Imunização e desigualdade de gênero: a construção da imagem da mulher nos primeiros atos de vacinação contra a covid-19

Carla Montuori Fernandes, Pedro Farnese, Janete Monteiro Garcia, Paolo Demuru

Resumo


O estudo tem por objetivo analisar as valências simbólicas identificadas em notícias publicadas no Portal G1 de todos os estados brasileiros sobre os primeiros atos de vacinação contra a covid-19, relacionando-os, em particular, às questões de raça e gênero com foco nas mulheres e sua posição na sociedade. Nessa perspectiva busca-se responder, sob a ancoragem da semiótica de Algirdas Julien Greimas, como a mulher foi representada em cada estado. Os resultados retratam as mulheres como sujeito social ‘frágil’ e ‘dependente’ do Estado como ‘Pai-Provedor’ ao lado do uso de mulheres negras representativas de ‘minorias’ que remetem a uma ideia de um Brasil diverso e miscigenado. As conclusões evidenciam que a visibilidade conferida à mulher nas campanhas de vacinação disputou espaço com representações de caráter sexista e racista.

Palavras-chave


Visibilidade midiática; Representações; Gênero; Jornalismo; Semiótica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v15i4.2412

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil