Falo, feijão e fuzil: uma leitura decolonial das questões de gênero, de raça e de classe nas narrativas do barebacking sex

Antonio Carlos Fausto Silva Júnior, Carlos Alberto de Carvalho

Resumo


Barebacking sex é o engajamento intencional de homens que fazem sexo com homens na relação anal sem camisinha. Para além de abordagens moralistas, relacionadas à possibilidade de infecção pelo HIV, analisamos como narrativas barebacking classificam os corpos em desejáveis e indesejáveis, a partir da maneira como são apresentados em cartazes de divulgação de orgias brasileiras disponíveis para visualização na internet. Neste artigo, almejamos uma discussão interseccional sobre desejo sexual, gênero, raça e classe, partindo das imagens em circulação nos contextos brasileiros do bareback.


Palavras-chave


Barebacking sex; HIV; Recolonialidade; Racismo; Masculinidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, Victor Hugo de Souza. Festas de orgias para homens: territórios de intensidade e socialidade masculina. 2016. 348 f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016. Disponível em: https://www.academia.edu/30857879/_Festas_de_Orgia_para_Homens_territ%C3%B3rios_de_intensidade_e_socialidade_masculina. Acesso em: 14 abr. 2022.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón. Introdução – Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES,

Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2018. p. 9-30. (Coleção Cultura Negra e Identidades).

BOLSONARO chama de idiota quem afirma que é preciso comprar feijão em vez de fuzil. G1, Rio de Janeiro, 27 ago. 2021. Jornal Nacional. Disponível em: https://g1.globo.com/jornal-acional/noticia/2021/08/27/bolsonaro-chama-de-idiota-quem-afirma-que-e-preciso-comprar-feijao-em-vez-de-fuzil.ghtml. Acesso em: 10 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Prevenção combinada. Brasília, DF: Ministério da Saúde, c2021. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/previna-se. Acesso em: 14 abr. 2022.

CÔRTES, Celina. Pacto Moral. IstoÉ, São Paulo, n. 1719, p. 60-61, 11 set. 2002. Comportamento.

COUTINHO, Leonardo. A roleta-russa da AIDS. Veja, São Paulo, a. 35, n. 35, p.76-77, 4 out. 2002. Sexo.

DOCUMENTÁRIO “Além de PRETO, VIADO” (Versão completa). Direção: Lucas Porfírio. [S. l.; s. n.], 2020. 1 vídeo (25 min). Publicado pelo canal Além de PRETO, VIADO. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=BDglGIUgF2g&t=178s. Acesso em: 9 set. 2021.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidade e mediações culturais. 2. ed. Organização: Liv Sovik; Tradução: Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação. Tradução: Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019.

LUGONES, María. Rumo a um feminismo descolonial. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3, p. 935-953, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/%25x. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/36755. Acesso em: 11 fev. 2021.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón (org.). Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2018. p. 31-61. (Coleção Cultura Negra e Identidades).

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

PAULA, Paulo Sergio Rodrigues de. Barebacking sex: discursividades na mídia impressa brasileira e na internet. 2009. 209 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/92662. Acesso em: 01 mar. 2019.

PROGRAMA CONJUNTO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE HIV/AIDS (UNAIDS). Indetectável = intransmissível. Brasília, DF: Unaids Brasil, 2018. Disponível em: https://unaids.org.br/2018/07/indetectavelintransmissivel/. Acesso em: 30 nov. 2021.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (org.). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009. p. 73-117.

RIVERA CUSICANQUI, Silvia. Ch’ixinakax utxiwa: una reflexión sobre prácticas y discursos descolonizadores. Buenos Aires: Tinta Limón, 2010.

SANTOS, Luís Henrique Sacchi dos. Educação e pesquisa de práticas sexuais de risco (barebacking sex). In: RIOS, Luís Felipe et al. Homossexualidade: produção cultural, cidadania e saúde. Rio de Janeiro: ABIA, 2004. p. 69-83.

SCHECHNER, Richard. Performance e antropologia de Richard Schechner. Organização: Zeca Ligiéro. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012.

SEGATO, Rita Laura. Contra-pedagogías de la crueldad. Buenos Aires: Prometeo, 2018.

SEGATO, Rita Laura. La guerra contra las mujeres. Madrid: Traficantes de Sueños, 2016.

SILVA, Luís Augusto Vasconcelos da. Desejo à flor da tel@: a relação entre risco e prazer nas práticas de barebacking. 2008. 197 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Instituto de Saúde Coletiva, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.




DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v16i2.3156

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil