As políticas públicas e o desenvolvimento da nanomedicina como uma pesquisa tecnocientífica no Brasil

Adriano de Faria, Graciela de Souza Olivera

Resumo


Este artigo tem o objetivo de caracterizar o desenvolvimento do que podemos nomear nanomedicina, levando em consideração os estudos prospectivos, os conceitos, as orientações das Políticas de Nanociências e Nanotecnologias (N&N) e uma avaliação das publicações e grupos da área. A nanomedicina tem se desenvolvido no Brasil a partir de políticas públicas de fomento às N&N — iniciadas em 2001 — orientadas para a pesquisa tecnocientífica e realizadas em redes. Identificamos que os tópicos tecnológicos predominantes nos artigos, patentes e projetos em nanomedicina se concentram em aplicações dermatológicas e em odontologia. Ainda assim, após treze anos, não há uma política de fomento específica para essa área no Brasil. O artigo indica quais iniciativas de financiamento alavancariam a nanomedicina no país, bem como que tipo de atividade científica ela tem caracterizado.

 

 

 


Palavras-chave


Nanociência; Nanotecnologia; Política científica e tecnológica; Tecnociência; Prospecção tecnológica; Rede de pesquisa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v8i3.460

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil