Relatório sobre o Programa de Pesquisa “Biomedicina na África

Richard Rottenburg, René Gerrets

Resumo


Este programa de pesquisa examina como a ciência e a prática da biomedicina são modeladas através de seus envolvimentos em vários contextos africanos. Consideramos a biomedicina como um conjunto circulante de tecnologias, práticas, e idéias que – como um subproduto de prevenção e tratamento – une os órgãos individuais à ordem polí- tica. Consideramos a África como um ponto central para entendermos as mudanças globais na criação de órgãos e subjetividades, bem como formas sociais, políticas e jurídicas de governança, exatamente porque o continente é tão marginalizado na economia política global e, assim, representa um local de intenso conflito e experimentação. Os sociólogos e antropólogos da medicina começaram a examinar a biomedicina através de estudos laboratoriais e da vida clínica na região Oeste. Houve pouco escrutínio da biomedicina nas áreas mais difíceis de países não-ocidentais onde crises humanitárias e emergências complexas envolvendo refugiados, guerras e epidemias são comuns. O nosso programa, enfocado regionalmente em Costa do Marfim, Quênia, Tanzânia, Angola e África do Sul tem por objetivo o preenchimento desta lacuna.

Palavras-chave


Biomedicina, criação da medicina tradicional, experimentação biomédica, intervenção humanitária, intervenção de saú- de, saúde e governança, órgãos administrativos, taxonomias biomédicas, personificações de tecnologias biomédicas

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v2i1.841

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil