Avaliação do setor produtivo farmoquímico no Brasil: capacitação tecnológica e produtiva

Jorge Carlos Santos da Costa, Mario Celso Pagotto, Carmen Nila Phang Romero Casas, Marco Antonio Vargas, José Celestino Barros, Jorge Antonio Zepeda Bermudez

Resumo


A importância do segmento farmoquímico no complexo econômico e industrial da saúde e a dependência externa do Brasil nesta área demandam um diagnóstico deste setor. Para isso, foi realizada uma pesquisa, cuja metodologia consistiu em aplicar questionário diagnóstico com subsequente visita técnica. Foram identificadas 36 empresas, das quais 30 foram visitadas. Os resultados mostraram um setor farmoquímico concentrado no Sudeste, predominantemente de capital nacional, com menos da metade das empresas operando somente como farmoquímicas. A força de trabalho é de aproximadamente duas mil pessoas com alta especialização. Mais da metade das empresas possui certificação nacional de boas práticas de fabricação, e algumas possuem certificações internacionais. A produção de fármacos representa 0,8% da quantidade importada, porém é estimulada pelas parcerias para desenvolvimento produtivo. Foram elaboradas uma matriz SWOT para o segmento e uma classificação das empresas segundo o grau de capacitação tecnológica, identificando fragilidades e recomendando o direcionamento de políticas públicas para produção de fármacos estratégicos.


Palavras-chave


Farmoquímicas; Insumos farmacêuticos ativos - IFA; Fármacos; Farmacêutica; Capacitação tecnológica; Estudos de prospecção

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v8i4.432

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil