Psicofisiologia da dor: uma revisão bibliográfica

Aline Oliveira Vitor, Edson Lopes da Ponte, Paula M. Soares, Krihsnamurti de M. Carvalho, Maria E. de Sousa Rodrigues, Manoel Cláudio A. Patrocínio, Raquel C. de Sousa Lima, Silvânia Maria Mendes de Vasconcelos

Resumo


A dor é definida pela Associação Internacional para o Estudo da Dor como sendo “uma experiência emocional e sensorial desagradável associada a uma lesão tecidual real ou potencial ou descrita em termos de tal lesão”. O aspecto sensorial da dor está associado ao processo de transmissão do impulso doloroso o qual é denominado de nocicepção. Já o aspecto emocional, por sua vez, está relacionado com as respostas comportamentais à dor. De acordo com a duração, a dor pode ser classificada em aguda ou crônica. É através da dor que se pode perceber um sinal de alerta para um perigo iminente, estando assim relacionada com a proteção do organismo, exibindo os limites que não podem ser transgredidos. Além de induzir anormalidades físicas, a dor pode alterar o equilíbrio psicológico do indivíduo. O objetivo deste trabalho é mostrar uma revisão bibliográfica sobre a psicofisiologia da dor, visando esclarecer as suas vias de ação e sua relação com alterações comportamentais. O tratamento da dor é feito baseando-se na sua etiologia e fisiopatologia e suas repercussões com o uso de fármacos analgésicos e adjuvantes. Além disso, medidas não farmacológicas, como recursos de medicina física e de reabilitação, somados aos procedimentos psicoterápicos, devem ser incluídas no tratamento.

Palavras-chave


Dor, nocicepção, psicofisiologia, percepção

Texto completo:

PDF PDF EN (English)


DOI: https://doi.org/10.3395/reciis.v2i1.830

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil