As narrativas jornalísticas sobre o sofrimento estudantil e a medicalização da universidade

Henrique Moreira Mazetti

Resumo


Este artigo investiga como a imprensa brasileira apresenta ao público a questão do sofrimento psíquico e do adoecimento mental de estudantes universitários. Para tanto, foi selecionado um corpus composto por 53 matérias jornalísticas obtidas nos principais veículos online do Brasil sobre o tema da saúde mental na universidade, no período de 2017 a 2019. Os textos foram analisados no sentido de identifiar padrões nos modos de narrar o sofrimento estudantil, qual é o perfi dos estudantes que protagonizam as matérias, quem são os profisionais e especialistas autorizados a opinar sobre o tema e a partir de quais dados e saberes as reportagens fundamentam suas informações. O estudo indica que o sofrimento estudantil é codifiado a partir da perspectiva da medicalização e poucas são as referências ao contexto socioeconômico e político no qual o mal-estar é gerado.


Palavras-chave


Saúde mental; Medicalização; Universidade; Jornalismo; Sofrimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i3.2083

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




e-ISSN 1981-6278 

Icict - Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde

Fundação Oswaldo Cruz | Ministério da Saúde
Av. Brasil, 4365 | Pavilhão Haity Moussatché | Manguinhos | CEP 21040-900
Rio de Janeiro | Brasil